Os fatores de crescimento são libertados do plasma e concentrado de plaquetas da circulação sanguínea e influenciam o processo biológico necessário à cicatrização e rejuvenescimento dos tecidos moles.
Este processo é praticamente indolor e sem contraindicações importantes para o paciente, tornando-se um perfeito aliado em várias terapias.

No entanto, vamos centrar-nos a utilização dos fatores de crescimento no tratamento da alopecia.
Baseia-se na estimulação capilar ativa, é utilizado um plasma rico em plaquetas do próprio paciente para conseguir a adequada estimulação do folículo piloso, retardar a queda e impedir o progresso da condição.

O plasma rico em plaquetas é obtido pela extração de um pouco de sangue do paciente. Em seguida, é tratado mediante uma centrifugação controlada e separa-se o plasma rico em fatores de crescimento. Uma vez aplicado na área a tratar, é gerada uma estimulação, melhoria e regeneração de tecidos; no caso da alopecia, será dos folículos pilosos.

No couro cabeludo começa a ver-se uma maior produção de colagénio e uma notável melhoria na vascularização. Como resultado, o folículo piloso é nutrido e oxigenado e não cai, começando a regenerar-se. É importante destacar que o tratamento com os fatores de crescimento capilar é indicado nos casos onde ainda existe folículo vivo.

 

Clínico responsável:

Dr. David Sanz