Este projeto apresenta-se pertinente uma vez que a obesidade é cada vez mais incidente na população geral e que pode originar consequências negativas ao nível psicológico e social. Estas consequências causam sofrimento e podem dificultar os objetivos estipulados pelo utente e pelos especialistas que o acompanham. A consulta de endocrinologia permite detetar disfunções hormonais, bem como o mau funcionamento de glândulas endócrinas. Este primeiro passo é fundamental no que diz respeito ao programa de perda de peso.

A consulta de psicologia integrada na consulta de emagrecimento/ obesidade visa em primeira instância aumentar a adesão ao tratamento, auxiliar o indivíduo nas escolhas de estilo de vida saudáveis que levem a um maior bem-estar em termos físicos e psicológicos e por último que diminua a probabilidade de recaída.

OBJETIVO

1) Deteção precoce e avaliação das perturbações psicológicas associadas à
doença; reabilitação psicológica em indivíduos com doença física;
2) Compreender os mecanismos e os comportamentos que estão na origem da saúde/doença, procurando a manutenção das condições de saúde e de adaptação psicológica;
3) Avaliar os indícios sobre “a fome e o comer do indivíduo”;
4) Avaliar o controlo que o indivíduo tem sobre a alimentação;
5) Avaliar a compulsão alimentar e a purgação;
6) Avaliar a alimentação emocional;
7) Avaliar os padrões de exercícios e atitudes;
8) Avaliar a associação entre o desajustamento emocional e a prática do exercício físico;
9) Avaliar a ansiedade, fome, apetite e saciedade, imagem corporal, libido
10) Avaliar e intervir segundo o Modelo Biopsicossocial: ter em consideração os fatores biológicos, psicológicos (cognições, emoções, motivação) e sociais, como seja, suporte social, emoções, fatores de risco e resiliência, stress, copinge vulnerabilidade
11) Diminuir os níveis de depressão, ansiedade, stress;
12) Desenvolver competências para lidar com o stress
13) Promover a auto-estima
14) Verificar as preocupações acerca do fracasso
15) Verificar as preocupações acerca das expectativas e avaliação dos outros

Mente e Corpo

16) Promover a independência do indivíduo
17) Desenvolver o espírito de luta;
18) Adquirir uma sensação de controlo e de auto-eficácia;
19) Adquirir competências de comunicação e assertividade;
20) Racionalizar o utente do processo de esforço subjacente à modificação comportamental dos hábitos e práticas quotidianas menos eficazes para o combate à obesidade;
21) Valorizar a associação existente entre a adesão ao plano alimentar, o exercício físico, o bem-estar e a qualidade de vida;
22) Esclarecer a relação obesidade/exercício físico;
23) Dotar o indivíduo de estratégias de manutenção a longo prazo
24) Detetar problemas a nível endócrino;
25) Estabelecer uma relação entre as disfunções hormonais e o excesso de peso/obesidade.
Equipa: Dra Daniela Guelho; Dra Paula Beirão Valente; Dra Ana Aires Martins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Enter Captcha Here : *

Reload Image